sábado, 25 de junho de 2011

Muito prazer, eu tenho endometriose!

Olá, muriaeenses!!!

É com muito prazer e, até um pouco emocionada, que estreio a minha coluna mensal no Muriaé na Web. Quando a Ludmila enviou o convite por e-mail, fiquei extremamente feliz. Sou editora do blog A Endometriose e EU (clique para conhecer) e, foi lá, que Lud me achou. Nasci em Rio Verde, Goiás, mas desde 1994, moro na capital paulista. Em voga, por conta do personagem de Camila Pitanga, a Carol Miranda, em Insensato Coração, novela global das nove, a endometriose é uma doença que se dá por meio da menstruação. 

Hoje, ela atinge cerca de 15% das mulheres em idade reprodutiva, ou seja, mais de seis milhões de brasileiras. Na novela, a Carol ficou infértil por conta da doença. A infertilidade é uma das sequelas que a doença traz à mulher. Tida como a doença da mulher moderna, a endometriose ainda é desconhecida por boa parte dos ginecologistas e, também, das mulheres. Foi por isso que criei o blog, para alertar e informar, pois, quanto mais rápido for o diagnóstico, menos a mulher sofre. 

Infelizmente, ela ainda não tem cura. Pior do que não ter cura é ser portadora de uma doença crônica e progressiva. Aqui, contarei o meu longo caminho até a descoberta da doença e, também, o meu tratamento. A endometriose não é transmitida sexualmente, viu gente. Mas ela também tem outra consequência muito grave: a dispareunia. A dispareunia nada mais é do que a dor durante a relação sexual. Eu não fiquei infértil, mas tive a dispareunia, a meu ver, uma das piores consequências da doença. Aos poucos falerei tudo aqui, inclusive, o meu tratamento para melhorar essas dores.

Voltando à novela, muitas portadoras estão revoltadas pelo fato de Insensato Coração não mostrar a ?nossa realidade?. Digo realidade, porque até ter o diagnóstico, que demora em média de sete a dez anos, nós sofremos muito. São cólicas e mais cólicas que vão aumentando com o passar dos meses e dos anos. Por ela, as mulheres abandonam os seus trabalhos, a vida social e a sexual. Ou seja, praticamente vivemos em função da endo. É uma tortura diária. 

Na novela, a personagem trabalha, não tem dores e, digo, as dores são incapacitantes. Carol Miranda só tem o diagnóstico de que não pode ter filhos. Desde 2007, sou repórter de entreterimento, ou seja, de celebridades. Assim que soube, corri e enviei um e-mail ao Ricardo Linhares, autor junto com Gilberto Braga. Nele, contei um pouco da minha história, do tratamento e falei sobre a realidade da doença. Supersimpático, ele respondeu imediatamente e, ficou impressionado com tudo o que passei. E, olha, que a minha foi bem branda. De fato, ele não sabia de como a doença é cruel. Disse que se inspirou no caso de uma amiga dele, onde sua endometriose ?regrediu?, e ela conseguiu engravidar. Como a doença é progressiva, falei que é impossível essa regressão. Informei que a gravidez, é usada como um tipo de tratamento, o qual me foi oferecido, mas não como cura.

Porém, enquanto muitas portadoras se revoltam (o que não dá para contestar!), eu agradeci a ele e ao Gilberto por serem os primeiros autores a retratarem esse drama, que atinge mais de 85 milhões de mulheres no mundo todo, em um folhetim. Outras informações: http://aendometrioseeeu.blogspot.com/2011/02/endometriose-em-insensato-coracao.html

2 comentários:

  1. Flor, boa tarde! Belíssimo texto. Mas conheço dois casos que a endometriose REGREDIU. Sou jornalista também. Eu descobrir a endometriose em Janeiro deste ano, após ficar de cama no natal e no ano novo. De lá pra cá, suspenderam minha menstruação. Era somente isso que a ciência tinha para me oferecer ou uma videolaparoscopia para retirar os focos. Achei muito pouco diante do estrago que a doença faz, desta forma fiz pesquisas na internet, diversas mesmo e encontrei dois depoimentos que me chamaram atenção. Uma foi de portugual, a mulher com endometriose severa igual a minha, conta no blog dela que toma as injeções para não menstruar e que buscou um tratamento alternativo em uma ervanária de Lisboa. Nessa ervanária, indicaram uma combinação de três chás: uxi amarelo+unha de gato+ graviola e que após 3 meses ela repetiu os exames e os endometriomas REGREDIRAM...e isso impediu de fazer uma cirurgia de emergência, hoje, após 1 ano ela continua tomando as injeções e os chás, ela relata que não está a espera de nenhuma cura milagrosa, mas sabe dos riscos que uma cirurgia pode acarretar e pretende evitar até onde puder de ser operada. Mantive contato com ela e esclareci algumas dúvidas. O segundo depoimento que encontrei foi em outro blog, onde a portadora de endometriose também tinha endo severa e já tinha perdido o ovário direito que estava com um endometrioma de 15cm ela chegava a desmaiar de dor. Após a cirurgia para retirada do ovário, ela mudou totalmente seu estilo de vida, alimentação e buscou apoio na fitoterapia também, mas no caso dela, ela usou a babosa. Ela conta que após perder o ovário direito, ela monitorava o esquerdo com exames de imagem constantemente e que o ovario esquerdo tinha um endometrioma de 6cm. Após o consumo da babosa o endometrioma REGREDIU para 3cm, ela escanou os exames de imagem e postou, ou seja, matou a cobra e mostrou o pau, como dizem em minha cidade (Salvador). E não parou por ai, ela ENGRAVIDOU sem ajuda de indutores, FIVs ou inseminação. No meu caso, eu tenho endo no ovario esquerdo de 4.5cm esse tamanho eu vi na ressonância no final de janeiro. Em fevereiro, meu aniversário, eu tive crises de choro com medo não conseguir ser mãe. Busquei tratamentos alternativos por 10 dias tomo os chás (uxi amarelo+unha de gato+graviola) e por 10 dias tomo a babosa e sempre vou alternando. A noite tomo o Gestinol 28 que a médica passou. Mudei minha alimentação, virei ovolactovegetariana, consumo cebola e alho crus em minha refeição. Substitui o arroz, pão e macarrão normal pelo integral. Duas horas após o almoço tomo suco de limão. 4 meses após, minhas dores sumiram, menstruei um mês após as mudanças como teste e não tive dores, hoje não sinto mais dor nas relações sexuais também. . Eu vou às ruas fazer minhas matérias, trabalho como assessora e vivo como se não tivesse endo. Contei a minha genecologista que fez o exame de toque a admitiu a possibilidade da endometriose ter regredido com essas mudanças e mandou eu repetir os exames. O CA 125 já voltou ao normal e o exame de imagem tá marcado para 25 de junho e eu creio que regrediu porque determinação e fé nunca podem faltar. Criei um blog com o título endometriose regride e relatei toda minha história. Estou na torcida por você e acredite sempre que a medicina de Deus junto com a dos homens tem um efeito MARAVILHOSO. Deus te abençoe e bom domingo. Bjinhos!!!

    ResponderExcluir
  2. Sim tive muita melhora no meu quadro com a homeopatia continuo tratando e não deixo a homeopatia ja tomei a combinação graviola, uxi amarelo e unha de gato

    ResponderExcluir